• O dragão é o único animal imaginário da simbologia chinesa. Simboliza a sabedoria, poder transformador, força, proteção e riqueza. Ele nos inspira e representa o nosso propósito e missão.

 

A Pirâmide do Processo Evolutivo, idealizada por Richard Barret, Robert Dilts e Berned Isert, reelaborada por José Roberto Marques, baseia-se na teoria da Hierarquia de Necessidades, de Abrahão Maslow ou Pirâmide de Maslow, representada em cinco níveis: fisiológicas, segurança, sociais, status – estima e autorrealização.

A versão apresentada a partir dos estudos de José Roberto Marques aborda sete níveis da evolução do ser humano no seu processo evolutivo, sintetizando a relação do Coaching com esses níveis.

Os sete níveis são: Ambiente, Comportamento, Capacidades e Habilidades, Crenças e Valores, Identidade, Afiliação e Legado.

“A função de cada nível é organizar e controlar a informação do imediatamente abaixo. Portanto, uma mudança em um nível mais alto, necessariamente acarretará mudanças nos níveis mais baixos. O nível mais baixo pode, mas não necessariamente, efetuar mudanças nos níveis acima”. (MARQUES, 2015, pg. 61)

Esses estudos envolvem uma relação com outras bases teóricas como Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, de Stephen Covey, estudioso do comportamento humano; As Sete Leis Espirituais do Sucesso, de Deepak Chopra, estudioso da mente humana e da medicina quântica; as sete Leis Universais Eternas; as sete Leis Naturais; os sete Princípios Herméticos, de Hermes de Trismegisto, o “Mensageiro dos Deuses”. Também apresenta o papel do Coach em cada um dos sete níveis e o tipo de liderança.

1º Nível – Ambiente

Quando somos expulsos do ventre materno recebemos o primeiro grande impacto. Não temos noção de quem somos, onde estamos, nem por que estamos aqui. Gradativamente começamos a reconhecer o ambiente, as pessoas que nos acolhem, alimentam e protegem. Somos totalmente dependentes delas, são os nossos primeiros heróis.

Descobrimos um mundo mágico, onde tudo é possível. Tornamo-nos os heróis da nossa imaginação. Mas, o zelo dos nossos heróis reais, interfere no nosso mundo. Aos poucos, começamos a assimilar, a copiar, seguir o que nos transmitem.

Eles fazem o que sabem para nos ensinar como devemos nos comportar, conforme o que aprenderam e segundo as suas crenças e valores. E, na ânsia de sermos aceitos, ou pelo medo do castigo, começamos a moldar o nosso comportamento e a experimentar as primeiras máscaras, distanciando-nos do ser original. É o elo perdido.

Nessa fase, nossa referência é externa, copiamos, imitamos, seguimos a moda, precisamos de modelos, líderes, da opinião alheia. O ego fala alto. Abandonamos alguns sonhos porque não encontramos incentivo, ou por medo da rejeição.

Quando o barulho da nossa sombra começa a incomodar, começamos a ansiar pelo tesouro perdido que não temos consciência existir nas profundezas do nosso ser. E, o movimento da mudança, começa a despertar o gigante interior.

A busca pode ser solitária, ou podemos encontrar um guia, papel do Coach nessa etapa da evolução, que nos conduzirá e apoiará nesse processo de mudança, que passa pela conscientização e pelo estabelecimento de estratégias vencedoras para atingirmos o nosso objetivo.

Nesse nível, o nível da superficialidade, é necessário identificarmos os limites, reais ou imaginários, e as oportunidades contidas no nosso ambiente para aprendermos a eliminar ou minimizar os limites e aproveitar as oportunidades.

Então, aprendemos que não precisamos depender dos outros para agir e tomar decisões e podemos adotar uma postura proativa, agindo e assumindo a responsabilidade pelas nossas escolhas e resultados (1º Hábito das Pessoas Altamente Eficazes – Ser Proativo).

Aprendemos que, ao invés de buscar opiniões e referências externas, podemos calar o ego e buscar internamente as respostas que precisamos (1ª Lei do Sucesso – Lei do Potencial Puro), através do poder da meditação e do silêncio interior.

“Meditação é a jornada do som para o silêncio, do movimento para a calmaria, de uma identidade limitada para um espaço sem limites. ”  Sri SriRaviShankar

“A inconsciência cria o sofrimento. A consciência transforma o sofrimento nela mesmo. São Paulo expressa esse princípio universal de uma forma linda ao dizer: ‘Tudo é revelado ao ser exposto à luz e o que for exposto à própria luz se torna luz’. Assim como não se pode lutar contra a escuridão, não se pode lutar contra o sofrimento. Tentar fazer isso poderia gerar um conflito interior e um sofrimento adicional. Observar o sofrimento já é o bastante. Observá-lo implica aceitá-lo como parte do que existe naquele momento. O sofrimento consiste na energia vital aprisionada que se desprendeu do campo energético total e se fez temporariamente autônoma, através de um processo artificial de identificação com a mente. Ela se volta para dentro de si mesma e se torna algo contrário à vida, como um animal tentando comer o próprio rabo. Por que você acha que a nossa civilização se tornou tão autodestrutiva? Acontece que as forças destrutivas da vida ainda são energia vital”. (TOLLE, ECKART, 1948, p. 28)

Aprendemos que, o que fazemos, seja bom ou ruim, volta para nós. Que precisamos doar para receber, amar para sermos amados. Que o que vai, vem. É o fluxo da vida (Lei Universal Eterna – Lei do Carma).

Aprendemos que somos parte da natureza. Portanto, precisamos cuidar do nosso ambiente. Que toda a matéria é composta de átomos que vibram impulsionados pela força vital, inclusive o nosso corpo físico e, a energia resultante das condições ambientais: higiene, limpeza, apresentação, cores, sons, clima, influenciam na nossa vida, saúde e disposição (Lei Natural – Lei da Natureza) e, que para mudar a nossa fisiologia, precisamos mudar o contexto.

Aprendemos a cuidar do discurso interno porque somos o que pensamos. Que os nossos pensamentos são de natureza vibratória e propagam-se em forma de ondas, interferindo em outros fenômenos ondulatórios, atuando na natureza e no nosso corpo físico (Princípio Hermético – O Princípio do Mentalismo).

Nesse nível, aprendemos a gerenciar por exceção, ou seja, focando e nos dedicando ao que é mais importante e estratégico para o nosso desenvolvimento, assim como das organizações que pertencemos. Aprendemos a confiar e delegar para os outros níveis abaixo da nossa posição, as demais tarefas, incentivando e apoiando o seu desempenho, mantendo-nos informados apenas dos resultados relevantes e que requeiram a nossa interferência.

O Coaching nesse nível é remediativo. Atua no nível consciente do Coachee para mudanças comportamentais, no contexto das suas ações e reações decorrentes das influências do ambiente externo: lugar, pessoas envolvidas, local de trabalho, o momento. A mudança precisa ocorrer do ambiente interno para o externo. Para que a mudança ocorra, são trabalhadas questões para reflexão e conscientização do “Onde” e “Quando”: Onde começou? Onde estar? Quando aconteceu?

2º Nível: Comportamento

O nível Comportamento está relacionado à maneira como agimos e reagimos, a nossa conduta pessoal e profissional, tanto o que fazemos como o que dizemos, no nosso cotidiano frente às interpretações que fazemos das informações do ambiente externo.

Nesse nível, prosseguindo a nossa jornada evolutiva, aprendemos que ganharemos se agirmos por nossa iniciativa ao invés de sermos apenas reativos.

Aprendemos que precisamos ter um objetivo em mente para direcionarmos os nossos esforços e, por recompensa, obtermos sucesso na realização das nossas metas e sonhos (2º Hábito das Pessoas Altamente Eficazes – Objetivo em Mente).

Aprendemos que tudo o que desejamos é uma forma de energia e que, para recebermos, precisamos dar (2ª Lei do Sucesso – Lei do Dar e Receber). Precisamos amar para sermos amados, respeitar para sermos respeitados, fazer os nossos deveres para termos os nossos direitos.

Aprendemos que nada é estático, tudo se move e vibra. O que para morre. Aprendemos que o pensamento é uma energia que vibratória e que atraímos para nós as pessoas e situações que correspondem ao mesmo nível de frequência dos nossos pensamentos e emoções. Que o ódio atrai o ódio, que o amor atrai o amor. O que emitimos retorna para nós. Aprendemos que para sermos bem-sucedidos, precisamos zelar pelas nossas ações e reações mudando hábitos e comportamentos inadequados (2ª Lei Universal Eterna – Lei da Ressonância).

Aprendemos que não somos seres isolados, que há uma ordem universal eterna, que o Universo é harmônico e a harmonia é uma característica essencial. Aprendemos que precisamos agir de acordo com a natureza mais profunda do nosso ser. Transgredir essa Lei implica em ferir a nossa dignidade e perder a paz de espírito (2ª Lei Natural – Lei da Harmonia).

Considerando o segundo axioma hermético diz: “O que está em cima é como o que está em baixo, e o que está embaixo, é como o que está em cima”, aprendemos que somos criação do Todo, que os nossos pensamentos e ações nos mantém no caminho da nossa jornada evolutiva e, para avançarmos é necessário aumentar a frequência vibratória (2º Princípio Hermético – O Princípio da Correspondência).

Neste nível, o processo de Coaching também é remediativo. O tipo de liderança é o estímulo por recompensa, considera o ganho, a sensação de prazer gerado quando o objetivo é atingido. O Coach atua como TREINADOR focado no comportamento do Coachee, auxiliando-o a se conscientizar dos aspectos ligados aos seus hábitos, ações e reações, conduta pessoal e profissional, da necessidade mudança e dos ganhos que ela proporcionará. Para que a mudança ocorra, são trabalhadas questões para reflexão e conscientização do “O que”: O que fazer? O que aconteceu?

3º Nível: Capacidades e Habilidades

O nível, Capacidades e Habilidades, relaciona-se com o conhecimento que adquirimos e como aplicamos, com as estratégias que adotamos e com a forma como nos organizamos e desenvolvemos o nosso potencial para atuarmos nos diferentes papeis que assumimos na nossa vida.

Neste nível do processo evolutivo, aprendemos a conhecer melhor a pessoa maravilhosa que somos, descobrimos em que somos bons e passamos a explorar essas características que nos distinguem, ampliando o nosso nível de confiança.

Aprendemos que se dedicarmos muito tempo a atividades agradáveis que não são nem importantes, nem urgentes, podemos causar impacto negativo nos nossos resultados e, que para atingirmos melhores resultados, precisamos gerenciar o nosso tempo, identificando e classificando a ordem de prioridade do que precisamos fazer, dando maior prioridade ao que é urgente e importante e, a seguir, ao que é importante, mas não urgente, para evitar que se torne urgente, depois ao que é urgente, embora não seja importante e, por fim, com o tempo restante nos dedicarmos às outras atividades que escolhermos com a sensação de alívio e conforto por termos honrado os nossos compromissos e estarmos no comando da nossa vida (3° Hábito de Pessoas Altamente Eficazes – Prioridades).

Aprendemos que colhemos o que plantamos, que toda ação gera força de energia que retorna para nós. Essa Lei corresponde a Lei Espiritual Eterna – Lei do Carma, diferenciando-se nesse nível do processo evolutivo pelo contexto da sua abordagem. Neste nível aprendemos que as situações que estamos vivendo, fomos nós que criamos, são resultados das nossas escolhas. O Universo responde às nossas escolhas equivocadas. Aprendemos que as nossas atitudes podem mudar esses resultados (3ª Lei Espiritual do Sucesso – Lei da Causa e Efeito).

Aprendemos que o Universo é um todo. Que temos um papel importante neste contexto, que precisamos viver uma vida com significado, que precisamos empregar as nossas capacidades e habilidades num propósito maior, só assim conseguiremos encontrar o sentido da vida (3ª Lei Universal Eterna – Lei da Unidade e Reflexão).

Aprendemos que tudo o que nos aconteceu precisava ter acontecido naquele momento, que precisávamos ter vivido aquela experiência para o nosso processo evolutivo. Atraímos as pessoas e as situações que precisamos. Nada é por acaso. A dor e o sofrimento fazem parte do nosso processo quando não conseguimos aprender de outra forma. Aprendemos que a aceitação e compreensão das nossas experiências nos liberam da angústia da culpa e o perdão nos remete a estágios mais avançados da nossa jornada (3º Lei da Natural – Lei da Ordem)

Aprendemos que tudo se move e vibra, que a física quântica comprova que somos seres vibrantes, sensíveis às vibrações dos lugares, dos nossos pensamentos e das pessoas com quem estamos nos relacionando. Aprendemos que precisamos estar atentos a nossa intuição no momento das nossas decisões e escolhas (3º Princípio Hermético – O Princípio da Vibração).

Neste nível do processo evolutivo o Coaching é generativo. Visa ampliar a capacidade cognitiva para o atingimento de melhores resultados. As mudanças ocorrem no nível consciente. O tipo de liderança é o estímulo intelectual, com estimulo a criatividade, reflexão e pensamento. O Coach atua como CONSULTOR PROFESSOR, apoiando o Coachee para que ele se conscientize do seu potencial e desenvolva os seus conhecimentos, capacidades e habilidades para atingir os resultados desejados. Para que a mudança ocorra, são trabalhadas questões para reflexão e conscientização do “Como”: Como é feito?

4º Nível: Crenças e Valores

O nível das Crenças e Valores está relacionado com os filtros e às interpretações que fizemos em relação às informações externas, constituindo um poderoso guia da nossa existência, norteando às nossas ações e a nossa vida.

Neste nível do nosso processo evolutivo aprendemos que as nossas crenças podem nos impulsionar ou limitar, aprendemos que somos o que pensamos e que os resultados que estamos atingindo dependem das nossas crenças. Aprendemos que é possível fortalecer, modificar ou adotar novas crenças.

Aprendemos que para ganharmos, o outro não precisa perder e que ganhamos mais quando todos ganham (4° Hábito de Pessoas Altamente Eficazes – Ganha-Ganha).

“Vencer/Vencer se baseia no paradigma de que há bastante para todos, que o sucesso de uma pessoa não se conquista com o sacrifício ou a exclusão da outra” (COVEY, STEPHEN R., 1989, P. 134)

Aprendemos a respeitar os cursos naturais, agindo com o mínimo de esforço, vivendo em harmonia com o Universo; a mentalizar e relaxar para que a nossa intenção positiva atraia as oportunidades; a não desperdiçar a nossa energia rejeitando pessoas e experiências que vivenciamos, aceitando que precisávamos passar por elas para a nossa evolução; assumir que somos responsáveis pelas nossas ações, sem procurar culpados; a nos distanciarmos, calando o ego, sem gastar a nossa energia tentando convencer os outros dos nossos pontos de vista (4ª Lei Espiritual do Sucesso – Lei do Mínimo Esforço).

Aprendemos que o amor e o perdão são energias poderosas, curativas e purificadoras, e são imprescindíveis para o nosso processo evolutivo. Que se não nos amarmos, não seremos capazes de amar ninguém, nem receber amor. Que se não perdoarmos a nós e aos outros, jamais seremos livres, viveremos apegados às emoções negativas e às pessoas que nos feriram ou magoaram (4ª Lei Universal Eterna – Lei do Amor e do Perdão).

Aprendemos que somos seres em evolução, que possuímos livre arbítrio e somos responsáveis pelas consequências dos nossos atos. Os sofrimentos que passamos foram necessários para aprendermos com eles (4º Lei da Natural – Lei da Evolução).

Aprendemos que tudo contém uma polaridade, dois extremos, o bem e o mal, o positivo e o negativo, o frio e o quente, yin e yang, masculino e feminino. Que nós somos seres duais e que temos todos os sentimentos e emoções contraditórios. Aprendemos que para o nosso processo evolutivo precisamos viver em harmonia com os contraditórios (4º Princípio Hermético – O Princípio da Polarização).

Neste nível o processo de Coaching também é generativo. O tipo de liderança é Inspiracional, o líder é o “modelo”. O Coach atua como MENTOR, auxiliando o Coachee a se conscientizar e modificar as suas crenças e valores limitantes para atingir os resultados desejados. Para que a mudança ocorra, são trabalhadas questões para reflexão e conscientização do “Por que”: Por que acredito?

5º Nível: Identidade

O nível Identidade está relacionado ao nosso Eu Interior, ao nosso papel, o senso do eu, a nossa missão nesta vida e a busca da razão de vivermos. Entramos num nível mais profundo de desenvolvimento e a mudança acontece no nível inconsciente.

Nesse nível do nosso processo evolutivo aprendemos que primeiro precisamos compreender, depois sermos compreendidos, aprendemos o significado de ouvir com empatia (5° Hábito de Pessoas Altamente Eficazes – Compreensão / Empatia)

“A atenção empática entra no quadro de referências da outra pessoa. Se você olhar para dentro dele, vê o mundo como ela o vê compreende seu paradigma, compreende o que ela sente”. (COVEY, STEPHEN R., 1989, p. 158)

Aprendemos que o Universo é um campo quântico, que estamos todos interligados, que as nossas intenções dão forma a energia e a nossa atenção transmite energia. Aprendemos que a nossa energia pode influenciar nesse campo quântico e tudo que nos rodeia, que os nossos pensamentos e intenções entram na mesma frequência vibracional da mesma qualidade de energia e que atraímos para nós as manifestações desse nível (5ª Lei Espiritual do Sucesso – Lei da Interação e do Desejo).

Aprendemos que toda a energia é um campo de força unificado, que não estamos sós, estamos todos interconectados e, que a energia do Universo provém do amor (5ª Lei Universal Eterna – Lei da Verdade).

Aprendemos que tudo o que existe deve-se a combinação harmônica de forças opostas, negativa e positiva, diferenciando-se pela frequência de vibração. Quanto mais baixa a frequência, mais densa será e mais átomos terá, compondo a matéria, que é mantida pela força eletromagnética. Quanto mais alta a frequência, mais volátil e menos átomos terá. A força vital ou psíquica substitui a força eletromagnética, no mais alto nível de frequência vibracional (5º Lei da Natural – Lei da Polaridade).

Aprendemos que o Universo e tudo o que existe está em constante movimento, que a polaridade e o ritmo comandam todos os organismos, que toda a desordem, doenças, sofrimentos, conflitos, guerras, é provocada pela desarmonia. Aprendemos que, consciente ou inconscientemente, criamos os nossos estados rítmicos, que se manifestam no nosso corpo, pensamentos e emoções e, que através de elevado nível de consciência, podemos alterar esse ritmo para um estado mais positivo (5º Princípio Hermético – O Princípio de Ritmo).

Nesse nível o processo de Coaching é Evolutivo, ocorre no nível espiritual, legado. O tipo de liderança é a consideração individualizada. Cada pessoa é única e especial, com as suas idiossincrasias e singularidades. O que serve para uma, pode não servir para outra. O Coach atua como PATROCINADOR com foco no positivo, promovendo a conscientização do Coachee para que ele encontre dentro de si essas respostas: qual a sua identidade, papel e missão de vida. O Coaching aplicado nas organizações trabalha esses itens no nível estratégico, na definição do seu negócio, missão, visão, valores e princípios e definições estratégicas, e no seu compartilhamento com todos os colaboradores para a sua conscientização e direcionamento das suas ações.

Para que a mudança ocorra, são trabalhadas questões para reflexão e conscientização do “Quem”: Quem sou eu?

6º Nível: Afiliação

O nível afiliação está relacionado ao nosso sentido de pertencimento, de que não somos seres isolados, fazermos parte de diferentes contextos e papeis na nossa vida.

Nesse nível do nosso processo evolutivo aprendemos a nos reconectar com as pessoas com quem nos relacionamos e são importantes para nós, numa dimensão maior; equilibrar a nossa participação no desempenho dos nossos diferentes papeis que assumimos, distanciando-nos daqueles que não nos agregam valor.

Aprendemos que o todo é maior que a soma das partes. Superamos o estágio da dependência e o da independência e nos tornamos interdependentes, valorizando as diferenças, considerando outros pontos de vista, desapegando-nos dos paradigmas do condicionamento (6° Hábito de Pessoas Altamente Eficazes – Criar Sinergia).

“A pessoa realmente eficaz tem a humildade e a reverência para reconhecer suas limitações perceptivas, e para reconhecer os imensos recursos disponíveis na interação com os corações e mentes de outros seres humanos. Esta pessoa valoriza as diferenças porque estas aumentam seu conhecimento, sua compreensão da realidade. Quando somos deixados por conta exclusiva de nossas experiências, sofremos uma falta constante de informação”. (COVEY, STEPHEN R., 1989, p. 184)

Aprendemos a participar de tudo nos distanciando, a renunciar o apego que nos mantém fixos num campo de possiblidades restrito para entrar no campo ilimitado do desconhecido, onde há uma infinidade de escolhas. Aprendemos que se ficarmos abertos, se ouvirmos a nossa intuição e acreditarmos no poder do nosso Eu verdadeiro, podemos alcançar qualquer coisa que desejarmos (6ª Lei Espiritual do Sucesso – Lei do Distanciamento).

Aprendemos que somos merecedores; que somos seres duais, de luz e sombra e aprendendo a lidar com a nossa sombra, perceberemos a graça das infinitas possibilidades e abundância que o Universo coloca a nosso dispor (6ª Lei Universal Eterna – Lei da Graça)

Aprendemos que, antes de existirem no nosso plano, “Todas as coisas criadas devem existir primeiro na mente de Deus”. Ele é o grande criador. Tudo o que existe no mundo físico, advém de ondas de possibilidades concebidas pela mente do observador (6º Lei da Natural – Lei da Manifestação).

Aprendemos que nada acontece por acaso, que toda a causa tem o seu efeito. Uma coisa não cria outra coisa. Cada ação realizada e cada ideia concebida cria um elo na cadeia de eventos precedentes, formando ondas de possibilidades, que a mente do observador converte em eventos reais (6º Princípio Hermético – O Princípio de Causa e Efeito)

Nesse nível o processo de Coaching é Evolutivo e a transformação ocorre em nível inconsciente. O tipo de liderança é a Colaborativa. O líder atua na conexão do grupo, reforçando os relacionamentos. O Coach atua como AGLUTINADOR, auxiliando o Coachee a qualificar e equilibrar a sua participação nos diferentes papeis e contextos da sua vida.

Para que a mudança ocorra, são trabalhadas questões para reflexão e conscientização do “Com Quem”: Com quem mais?

7º Nível: Legado

O nível legado está relacionado ao nosso propósito, desenvolvimento espiritual e com a contribuição que deixaremos para o Universo.

Nesse nível do processo evolutivo aprendemos que temos uma visão e um propósito maior que precisa ficar quando transcendermos.

Aprendemos a importância de cuidar e manter em equilíbrio as quatro dimensões da nossa natureza: física, mental, social/emocional e espiritual. A física, cuidando da alimentação, praticando exercícios, descansando e relaxando; a mental, através da ativação da mente pela leitura, escrita, exercícios mentais; a social/emocional, cuidando dos nossos relacionamentos; a espiritual, através da prática da meditação (7° Hábito de Pessoas Altamente Eficazes – Ser Holístico).

Aprendemos que somos seres espirituais, que viemos para este mundo com um dom, com talentos singulares que nos destaca e que precisamos colocar à disposição da humanidade (7ª Lei Espiritual do Sucesso – Lei do Darma).

Aprendemos que somos seres de energia, que criamos a nossa realidade e tudo que há na nossa vida. Aprendemos que atraímos para nós as pessoas e situações que precisamos para as nossas experiências, visando a nossa evolução (7ª Lei Universal Eterna – Lei da Criação).

“Compreender nosso potencial criador, a partir da Lei da Criação, é o princípio da evolução ativa, onde se imprime uma força consciente finalmente capaz de neutralizar os impulsos primitivos gerados pela ignorância espiritual do ego” (MARQUES, J.R., 2015, p. 153)

Aprendemos que só através do amor incondicional conseguiremos alcançar a total compreensão da criação, da ordem o do equilíbrio do Universo. Aprendemos que as experiências e os sofrimentos pelos quais passamos, foram necessários para a nossa conscientização e desenvolvimento espiritual. Aprendemos que quando nos conscientizarmos de toda a dinâmica da criação atingindo o objetivo da nossa jornada neste plano, não necessitaremos mais experiências e podermos retornar à fonte de luz, transcender (7º Lei da Natural – Lei do Amor).

Aprendemos que só existe vida porque há a presença de dois polos que se atraem e se unem, na dança constante da transformação e criação. O polo negativo (yin, passivo, feminino, que concebe) atrai o positivo (yang, masculino, gerador) absorve o ativo e gera um novo elemento, assim manifestando-se em todos os planos, tanto no físico, como no mental, emocional e espiritual (7º Princípio Hermético – O Princípio do Gênero).

Nesse nível o processo de Coaching é Evolutivo. A transformação ocorre em nível inconsciente. O tipo de liderança é Carismática e Visionária. O líder, normalmente é pioneiro, mantém o foco no futuro, inspirando e estimulando os seus colaboradores a seguir a sua visão. O Coach atua como SELF Empowerment, auxiliando o Coachee a se apoderar do seu Eu.

Para que a mudança ocorra, são trabalhadas questões para reflexão e conscientização do “Quem mais”: Quem mais se beneficiará?

Uma vez desenvolvidos todos os níveis, chega-se ao senso de significado da vida, ao pensamento sistêmico, ao Ser Integral. O fim é a Luz, a transcendência.

Lúcia Arlete Machado Nunes

Consultora Organizacional, Master Coach e Master em PNL

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.